7 dicas para a venda do seu imóvel ser um sucesso

scimoveis

Normalmente, quem decide vender um imóvel não quer esperar muito. Afinal, a pessoa deve ter uma boa razão para querer passá-lo adiante. Independente do motivo, seja para investir ou porque o imóvel está parado e ocioso e passou a se tornar um encargo oneroso demais, o ideal é conseguir o melhor preço em um menor espaço de tempo. Isso é possível, porém é importante conhecer alguns pequenos truques para agilizar o processo e conseguir fazer uma ótima venda. Confira, no artigo de hoje, sete dicas para a venda do imóvel ser um sucesso!

1. Todos os documentos em dia

Nem pense em colocar à venda um imóvel cuja documentação não esteja completamente em dia, pois isso só fará você perder os melhores compradores e ainda atrasará qualquer fechamento de contrato. Dívidas, pendência de documentos, processos de penhora, inventários, partilhas em divórcio. Não importa, pois você pode até julgar o problema pequeno, mas acredite: não é. Para o comprador, o imóvel que estiver com toda a documentação em dia já sai ganhando preferência; assim, providencie tudo antes de colocá-lo à venda. Ninguém gosta de problemas, ainda mais quando se está pagando tão caro por eles.

2. Preço deve ser o de mercado

Lembre que pode haver uma grande diferença entre o que você acha que o imóvel vale e o valor real dele, pois quem dita o preço é o mercado. Claro que há variações de acordo com o estado, materiais empregados, incidência de luz natural, localização, entre outros, mas esses são valores agregados que influenciam mas não determinam o valor final do imóvel. Como qualquer outro produto à venda, ele também tem concorrência. Assim, valores fora da realidade já limitarão o número de interessados.

Portanto, desista se está pensando em pedir um preço muito alto para negociar na hora das propostas. A dica é pedir a avaliação profissional de um corretor imobiliário qualificado, que dará um preço justo. Aí sim, na hora da negociação, você pode usar os valores agregados, já citados anteriormente, para justificar o seu preço.

3. O imóvel deve estar no melhor estado possível

Não tente economizar na hora de vender o imóvel! Procure deixá-lo com o melhor aspecto possível, mesmo sabendo que quem o comprar provavelmente fará obras. Pinte-o com cores neutras e claras, conserte o que for preciso, tire qualquer vestígio de mofo das paredes, substitua instalações elétricas e hidráulicas, apare a grama, refaça o jardim. Não é preciso fazer uma grande reforma, mas é necessário consertar as coisas mais urgentes e deixá-lo o mais apresentável possível.

Se na época da venda ele ainda estiver ocupado, retire objetos muito pessoais e que possam causar desconforto, como: artigos religiosos, objetos que sugerem preferências musicais e de times de futebol, por exemplo. Você ficaria surpreso em saber como há pessoas que se sentem profundamente incomodadas. E não se esqueça da limpeza, que deve estar impecável.

4. Use o que for possível a favor

Por isso, talvez o melhor seja restringir um pouco os horários de visitação. Se os inquilinos ou moradores tiverem bom gosto, a decoração pode até ajudar na venda. Há vários corretores que, quando têm oportunidade, levam pratos fresquinhos ou cozinham no local para deixar um cheirinho gostoso de alimentos pela casa. Mas cuidado, porque comidas gordurosas tendem a enjoar. O ideal são os doces assados, como biscoitos, tortas e bolos – que, inclusive, devem ser oferecidos aos visitantes.

5. Seja aberto às formas de pagamento

A intransigência não é uma boa ferramenta de vendas, por isso seja aberto e simpático às sugestões encontradas pelo cliente interessado. Estude formas alternativas de pagamento, aceite financiamentos, parcelamentos e, quem sabe, até trocas. Deixe o comprador em potencial à vontade para voltar outras vezes e avaliar melhor o espaço. Sugira modificações pontuais que melhorarão ainda mais o imóvel e cite os pontos positivos em relação aos demais, que estão sendo vendidos nas redondezas, sem desqualificar os concorrentes, mas agregando valor ao seu imóvel.

6. Contrate uma única imobiliária

Assim, você evita a famosa “bateção de cabeça”: corretores de imobiliárias diferentes ao mesmo tempo no local, o que pode ser constrangedor tanto para os profissionais quanto para os clientes, prejudicando a venda. Contrate apenas uma boa imobiliária, que conheça bem a cidade, tenha uma ótima cartela de clientes e corretores experientes. Dessa forma, você estará centralizando telefonemas, e-mails (cuja maioria, infelizmente, é de pessoas que não têm condições reais de comprar seu imóvel) e também a marcação das visitas.

Lembre-se que quando mais de uma imobiliária trabalham em um mesmo projeto, nenhuma acaba trabalhando direito – até por medo de chegar lá e o imóvel já ter sido vendido ou de ter o cliente roubado pela outra após a visitação. Verifique a idoneidade da imobiliária e deixe nas mãos delas por um período entre 90 e 120 dias.

7. Use os meios adequados de divulgação

Não dá para esperar o cliente perfeito cair do céu. É preciso ter iniciativa! Há vários sites de corretagem de imóveis onde ele pode ser divulgado. Mas, se você já colocou-o em uma imobiliária, certifique-se que ela tenha forte presença online para alcançar seu público-alvo. O ideal é escolhê-la de acordo com a região do imóvel, pois ela estará mais apta a captar os melhores clientes.

Em Florianópolis, por exemplo, a SC Imóveis possui um time de corretores altamente qualificado. Quer entrar em contato conosco? Clique aqui!

ctas-blog-1024x128-2-Decorar